Perguntas Frequentes

Está em dúvida quanto a adotar, resgatar ou castrar um animal? Precisa de mais informações sobre a ONG Amor Vira-Lata e sobre como você pode ajudar? A seguir responderemos algumas dessas dúvidas bastante frequentes. Clique nas perguntas para ler as respostas.

Sobre a ONG Amor Vira-Lata

Como o Amor Vira-Lata realiza suas ações sociais?

Contamos com a ajuda da comunidade, do brechó ChiCão, e vendemos nossos produtos (camisetas, canetas, adesivos) para captar recursos para as nossas ações.

O Amor Vira-Lata recolhe animais abandonados?

O Amor Vira-Lata não possui abrigo para animais, portanto não recolhemos animais abandonados. Nosso objetivo principal é trabalhar nas causas da superpopulação e abandono de animais, priorizando a esterilização como forma de controle populacional, estimulando a adoção, valorizando o animal sem raça definida e a guarda responsável. Dessa forma estamos ajudando a resolver a causa dos problemas e não somente tentando amenizar as consequências.

O Amor Vira-Lata tem abrigo para animais abandonados?

O Amor Vira-Lata não possui abrigo para animais, portanto não recolhemos animais abandonados. Clique aqui e conheça nossos objetivos.

Onde fica a sede administrativa da ONG?

O Amor Vira-Lata não possui uma sede administrativa. Nosso trabalho é 100% voluntário e o fazemos nas nossas horas vagas.

Como anunciar no site do Amor Vira-Lata

Como faço para anunciar animais para doação?

Clique em Anunciar no menu superior do site para mais informações.

O anúncio tem algum custo financeiro?

Não, os anúncios publicados no site do Amor Vira-Lata são gratuitos e tem como objetivo aumentar a visibilidade dos animais que aguardam adoção ou estão perdidos/encontrados. As informações constantes nos anúncios são de responsabilidade do anunciante.

Por quanto tempo o animal ficará anunciado?

O anúncio ficará disponível no sistema por 30 dias. Caso queira renovar o anúncio, ou excluí-lo, envie um e-mail para [email protected] citando o nome do animal e o número do anúncio. Podemos renovar o seu anúncio quantas vezes sejam necessárias.

Esterilização/Castração

Qual a importância de castrar meu bichinho?

Clique aqui e confira todas as informações.

Doações de animais

Como doar o meu animal de estimação?

Primeiramente certifique-se de que suas razões para disponibilizar a vida do animal para adoção sejam inevitáveis (o que quase nunca são). Uma sugestão para isso é colocar-se no lugar dele, como uma criança da família, um ser dependente e sentir o que gostaria que fizessem com você. Lembre-se de que animais já apegados a pessoas sofrem muito com a separação e que demonstram preferir enfrentar junto com sua família algumas adversidades do que serem repassados para outro lugar. Mudança de casa para apartamento ou para lugar menor não é motivo para se desfazer dele, pois é mais um filho e deve acompanhar a família na mudança. Nenhuma normativa de condomínio pode lhe proibir de ter seu animal em sua residência. Gravidez da guardiã ou alergia de algum membro da família tem sido motivos para isto. Neste caso é melhor informar-se melhor, pois alguns médicos preferem orientar o abandono do animal ao invés de procurar as verdadeiras causas do problema. Problemas de comportamento podem tentar ser resolvidos com especialistas em comportamento animal.

O que fazer quando você encontra um animal

Clique aqui e confira todas as informações.

Como doar um animal que resgatei?

Providencie fotos digitais para enviar aos sites de adoção. De preferência faça fotos bonitas, onde só apareça o animal que pretende doar, faça relato sobre o animal, fale sobre o temperamento dele e um pouco da sua história, você pode anunciá-lo aqui no site. As fotos servirão também para a confecção de cartazes que você poderá colocar em clínicas veterinárias, petshops, agropecuárias, centros comunitários, etc. Coloque anúncio promovendo a adoção na seção de classificados do principal jornal de sua cidade. Avise seus amigos, divulgue no Facebook com frequência.

Quais os cuidados necessários ao encaminhar um animal para adoção?

1. Antes de doar, providencie a castração do animal. Se o candidato à adoção desejar um animal não castrado, busque conscientizá-lo sobre a importância da esterilização. E jamais doe um animal não castrado para o candidato, pois ele pode estar buscando animais para procriação, atividade que comumente implica maus-tratos e/ou aumenta muito o problema da superpopulação de animais. Clique aqui e saiba mais sobre castração.

2. Faça uma entrevista cuidadosa com o candidato à adoção, preferencialmente indo ao local onde ficará o cão ou gato, a fim de verificar se o mesmo tem condições de receber o animal. E também para evitar que cães e gatos sejam vítimas de crueldades, sendo adotados para rinhas, procriação e venda (especialmente os de raça), rituais religiosos, etc., ou por pessoas desajustadas que só querem o animal para maltratá-lo. Não doe o animal se o candidato não assinar um termo de responsabilidade, caso queira um modelo nos escreva que enviamos o termo por email para você.

3. Tenha cuidado e certifique-se que o animal não será doado para ficar preso em correntes. Em casas que não são cercadas, os proprietários podem deixar o animal preso, deixando-o agressivo ou deprimido ao longo de tempo. Ou o animal, se ficar solto, poderá fugir e ser atropelado, além de correr o risco de sofrer maus tratos na rua. Coloque-se na posição do animal, sua decisão de doá-lo e a quem doá-lo são determinantes sobre o seu destino, pois ele não tem outra escolha.

4. Se o candidato declarar que está adotando devido à morte de outro animal, informe-se sobre o motivo do óbito, prevenindo futuras contaminações por doenças como cinomose, parvovirose e rinotraqueíte, altamente contagiosas e que deixam o local infectado. Verifique também se o animal que morreu teve o atendimento veterinário devido.

Desejamos muita inspiração e consciência para que a adoção se realize de forma conveniente e harmoniosa para todos os envolvidos.

Animais em condomínio

O estatuto do condomínio pode proibir a presença de animais dentro da minha área privativa? E na área de uso comum?

O estatuto não pode proibir a presença de animais dentro da área privativa do condomínio. Porém, nas partes comuns pode estabelecer critérios, como, por exemplo, transportar o animal no colo, uso de coleira, etc.

O condomínio pode obrigar que o responsável pelo animal transporte-o no colo dentro das áreas comuns?

Sim, desde que esteja previsto na Convenção de Condomínio.

O estatuto do condomínio pode proibir a presença de animais de determinadas raças ou porte?

Não. O condomínio pode estabelecer regras para a convivência pacífica entre animais e condôminos, mas não proibi-los.

O condomínio pode obrigar o uso da focinheira?

Sim. O uso da focinheira é obrigatório para cães considerados ferozes e está previsto no artigo 2º da Lei Estadual nº 12.353 (www.al.rs.gov.br/legis).

O condomínio pode obrigar o uso de coleira nas dependências comuns do mesmo?

Pode, desde que esteja previsto no estatuto ou regimento interno do condomínio.

Leis de proteção animal

Animais silvestres e exóticos

É proibido o comércio de animais silvestres e exóticos. Lei federal nº 9.605/98, artigo 29 e seguintes (www.planalto.gov.br/leg.asp).

Denuncie: IBAMA 0800-61-8080

Lei que regulamenta o transporte de animais no RS

Lei Estadual nº 12.900/2008 – assegura o direito de transporte rodoviário intermunicipal aos cães de pequeno porte e de cães-guia (www.al.rs.br/legis).

Leis que regulamentam o uso de animais em circos

Lei Estadual nº 12.994/2008 (wwww.al.rs.gov.br/legis). Pena: interdição do estabelecimento.

Quais as principais leis que defendem os animais?

• Declaração Universal dos Direitos dos Animais de 1978 (www.cfmv.org.br/portal/direitos_animais.php).

• Lei Federal nº 9.605/98 – dispõe sobre os crimes ambientais (www.planalto.gov.br).

• Decreto-Lei Federal nº 24.645/34 - dispõe sobre os maus-tratos em animais (www.lei.adv.br).

• Código Estadual de Proteção aos Animais – Lei Estadual nº 11.915/2003 (www.al.rs.gov.br/legis).

• Lei Federal nº 6.638/70 – dispões sobre a Vivissecção (www.planalto.gov.br).

• Lei Estadual Nº 13.193, de 30 de junho de 2009. Dispõe sobre o controle da reprodução de cães e gatos de rua no Estado do Rio Grande do Sul e dá outras providências.

Maus tratos aos animais

Como denunciar maus-tratos?

Você pode tomar uma das seguintes atitudes: Ir à delegacia de polícia mais próxima para fazer um Boletim de Ocorrência (BO); fazer a denúncia para o Batalhão Ambiental da Brigada Militar.

O Amor Vira-Lata averigua denúncias de maus tratos?

O Amor Vira–Lata não atende denúncias de maus tratos. Tendo conhecimento do caso e se sensibilizando pelo animal, você pode coletar provas e encaminhar diretamente para a polícia. É responsabilidade do poder público zelar pela segurança dos animais e responsabilizar culpados. Pense na segurança do animal e como pode ajudar além da denúncia. Em Caxias do Sul existe a PAC – Proteção Animal Caxias que averigua casos de maus tratos. Denúncias podem ser feitas pela página da ONG no Facebook ou por telefone (54) 91596172, (54) 91076869, Dona Terezinha (54) 99699813.

O que são considerados maus-tratos?

Os atos considerados como maus-tratos estão elencados no artigo 3º do Decreto Federal 24.645/34 c/c artigo 32 da Lei Federal 9.605/98, Lei dos crimes ambientais (www.lei.adv.br). Alguns exemplos: praticar atos de abuso ou crueldade em qualquer animal; manter animais em lugares anti-higiênicos, ou que os privem de ar ou luz; obrigar animais a trabalhos excessivos ou superiores às suas forças; golpear, ferir, ou mutilar, voluntariamente, qualquer órgão ou tecido de economia, exceto a castração, só para animais domésticos, ou operações outras praticadas em benefício exclusivo do animal e as exigidas para defesa do homem, ou no interesse da ciência; abandonar animal doente, ferido, extenuado ou mutilado, bem como deixar de ministrar-lhe tudo o que humanitariamente se lhe possa prover, inclusive assistência veterinária; - Pena: detenção de 3 meses a 1 ano e multa.

Parcerias e Voluntariado

Sou empresa e quero ajudar ou quero ser voluntário

Primeiramente agradecemos, toda ajuda é fundamental. Clique aqui e saiba como ajudar.

Envenenamento de animais

O que fazer para evitar novos envenenamentos de animais?

É bastante comum que o crime de envenenamento de animais se repita na região onde já ocorreu algum caso. Para inibir novas ações do criminoso faça o maior alarde que puder. Quanto mais divulgação houver sobre o ocorrido, maior a possibilidade de inibir novas ações do envenenador. Busque a mídia local, converse com vizinhos. Denuncie! Mas atenção, não divulgue nomes apenas por suspeitar de alguém. Qualquer nomeação de suspeitos deve ser feita diretamente à polícia, mas nunca em redes sociais.

Toxoplasmose

O que é Toxoplasmose?

É uma infecção parasitária causada por um protozoário, o Toxoplasma gondii.

Estou grávida, e me falaram que não posso conviver com gatos, o que eu faço?

Apenas 1% dos gatinhos transmite a toxoplasmose e, para isso, eles precisam estar doentes e, principalmente, na fase de eliminação dos oocistos. O gatinho contrai o toxoplasma quando come carne crua ou mal passada ou, ainda, se ele comer insetos, ratos, lagartixas que contenham cistos do protozoário. É importante saber que adquirir toxoplasmose de gatos é muito raro e o animalzinho não é a principal fonte de transmissão.

Geralmente, o gato que contraiu toxoplasmose, irá eliminar os oocistos (“ovinhos” do toxoplasma) apenas uma única vez e por apenas 15 dias durante toda a sua vida. Esta eliminação ocorre 10 dias após o gatinho ter sido infectado. Para que você se contamine com o toxoplasma, você precisa comer a forma infectante, que nada mais são que os ovinhos germinados presentes nas fezes do gato contaminado. Ou seja, você precisa que as fezes do gato tenham contato com sua boca. E, além disto, as fezes do gato infectado precisam ter contato com sua boca depois de 48 horas que o gato tenha defecado, caso contrário, os “ovinhos não germinam” e o ciclo não se completa! Vale lembrar que os gatos são animais extremamente limpos. Eles têm o habito de enterrar seus dejetos e se limpar várias vezes ao dia. Estudos mostram que é impossível você contrair toxoplasmose beijando ou acariciando seu gatinho. Portanto, fique tranquila! Seu gatinho não lhe representa nenhum perigo! Não se contrai toxoplasmose através da lambida, mordida ou arranhões de gato.

Como você realmente se infecta?

As principais formas de contaminação ocorrem pela ingestão de carne crua ou mal passada e pela ingestão de legumes, verduras e frutas mal lavadas. A OMS estima que 50 a 60% da população mundial adulta está infectada com toxoplasmose. Isso se deve ao fato de terem tido contato com o toxoplasma. Não quer dizer que essas pessoas estão doentes. Elas apenas possuem anticorpos contra a doença. O problema ocorre em pessoas que estão com o sistema imune deprimido. Nestes casos, os sintomas da toxoplasmose podem aparecer. Em pessoas saudáveis geralmente os sintomas não aparecem ou passam desapercebidos. Outra situação delicada é quando uma mulher nunca teve contato com o toxoplasma (não tem anticorpos contra toxoplasmose) e engravida. Principalmente, durante os 3 primeiros meses de gestação, se a mamãe se infectar e não tiver o tratamento adequado, pode ocorrer a transmissão do toxoplasma para o feto, acarretando problemas para ele. Portanto, se você é soropositiva e está grávida, não precisa se preocupar. Agora, se você é soronegativa, basta ter alguns cuidados, converse com seu médico.

Fogos de artifício

O que pode acontecer com meu animal em um dia com muito barulhos de fogos de artifício ou rojões?

Os animais se assustam facilmente com o barulhos dos fogos e rojões. O pânico desorienta o animal, que tende a correr desesperado e sem destino. Muitos animais podem sofrer paradas cardiorrespiratórias, convulsões e ter diversos problemas que podem os levar à morte. Para evitar tudo isso, garanta condições mínimas de segurança e evite ambientes conturbados e barulhentos. Tranquilize seu bichinho, transmitindo a sensação de que tudo está bem e sob controle. Lembre-se que, se o seu bichinho conseguir fugir, por desespero, ele poderá correr por vários e vários quilômetros.

É MUITO IMPORTANTE deixar o animal com uma coleira com um telefone de contato. Se alguém conseguir resgatar seu bichinho, você poderá ser contatado. Utilize uma plaqueta de metal ou de plástico, com uma escrita que não se apague com água ou umidade. Etiquetas de papel escritas à caneta além de rasgar com facilidade ficam ilegíveis quando molhadas. O Amor Vira-Lata grava plaquinhas metálicas com o nome e telefone, se quiser fazer a sua escreva pra gente.

Quais são as recomendações em dias de fogos de artifício, ou rojões?

Acomode os animais dentro de casa, em lugar onde possam se sentir em segurança, com iluminação suave e se possível um radio ligado com música. Fechar portas e janelas para evitar fugas e acidentes fatais. Procure um veterinário para sedar os animais no caso de não poder colocá-los para dentro de casa. Animais acorrentados podem se enforcar em função do pânico. Alguns veterinários aconselham o uso de tampões de algodão nos ouvidos que podem ser colocados minutos antes e tirados logo após os fogos.

Observações Cães

Não deixe muitos cães juntos, pois, excitados pelo barulho, brigam até a morte. Tente deixá-los em quartos separados.

Observações Gatos

Escolha um quarto da casa que tenha uma cama e um armário e prepare para ser o quarto dos gatos no revellion. Feche os gatos neste quarto a partir dos primeiros rojões e deixe-os lá. Deixá-los soltos aumenta o medo, a correria e o desespero, e eles acabam se enfiando em lugares como embaixo da máquina de lavar e da geladeira;

Para quem mora em casa, com gatos que tem acesso à rua, recolha os gatos antes do pôr-do-sol e feche-os da mesma maneira. Na rua é mais perigoso, pois, quando se assustarem, podem se perder. Além disso, podem ser alvo de maus-tratos. Água, comida e caixinha de areia devem ficar distribuídos estrategicamente pelo quarto, sempre encostados na parede, para que não sejam derrubados.

Pulgas

Meu animal está com pulgas e/ou carrapatos. Como isso acontece?

As infestações surgem pelo contato do cão ou gato com um ambiente infestado ou por um outro animal que leva a infestação. Ainda, os carrapatos podem se deslocar por grandes distâncias, fazendo com que o foco de infestação seja a residência de um vizinho, por exemplo. Uma única pulga no animal bota em média 50 ovos por dia, tornando-se centenas em pouco tempo. Esses ovos vão caindo pela casa, principalmente nos locais onde o animal permanece por mais tempo, dando origem à infestação ambiental. O prazo para surgir uma pulga adulta a partir de um ovo varia bastante, podendo ser de 10 dias até 6 meses. Assim como as pulgas, os carrapatos também se proliferam em grande quantidade, infestando o ambiente e o animal, em busca de sangue para se alimentarem e continuarem a se reproduzir. Um erro comum é as pessoas pensarem que só se pega carrapato no mato. O carrapato do cão, por exemplo, prefere ambientes secos e altos, como frestas, e sobem muros, passando de um ambiente para outro.

É verdade que no verão os animais tem mais pulgas?

O clima quente faz com que o desenvolvimento das pulgas seja mais rápido, encurtando o tempo do ciclo entre os ovos até a fase adulta. Em média esse ciclo pode levar até 140 dias para que o ovo origine a pulga adulta, em períodos de baixa temperatura, diferente do que ocorre em períodos quentes, quando o ovo origina a pulga adulta em 10 dias. Isso pode causar a impressão de que há mais parasitas ou que os produtos indicados não estejam agindo da forma esperada.

Onde meu cão pega tanta pulga?

Se o seu cão tiver poucas pulgas, ele pode estar sendo infestado durante os passeios na rua. Se a quantidade for muito grande, deve haver algum foco de pulgas na casa. O animal deve ser tratado com produtos anti-pulgas de duração prolongada e o ambiente deve ser dedetizado. As pulgas adoram carpetes, frestas de tacos e pilhas de jornais velhos para colocarem os seus ovos. As pulgas se reproduzem com uma velocidade e facilidade incríveis e, se a infestação não for combatida logo no início, o problema toma proporções assustadoras. Sabendo disso, devemos entender que tratar apenas o animal (cão ou gato) numa grande infestação é um erro. Você vai matar algumas pulgas. A maior quantidade delas está nas frestas do piso, pilhas de papéis, tapetes e carpetes, na forma de ovos, larvas ou pulgas adultas.

Mas como a casa ficou infestada de pulgas e eu não senti nenhuma picada?

A pulga é espécie-específica, ou seja, existem pulgas que atacam humanos e outras que picam animais. A pulga de cães e gatos não vai atacar as pessoas enquanto ela tiver disponível uma fonte de alimento. Assim, quem sofre é o animal. E o processo é tão rápido que quando você observa mais atentamente seu amigão por ele estar se coçando muito, dezenas de pulgas já podem ser vistas, principalmente na região do abdômen (barriga) e em volta do ânus e cauda. Grandes infestações de pulga no ambiente fazem com que elas, na ausência de alimento suficiente, passem a picar também as pessoas da casa.

E como eu vou acabar com essa "praga"?

Na casa: dedetização, 2 aplicações com intervalos de 3 a 4 semanas, ou uso semanal, no ambiente, de produtos anti-pulgas da linha veterinária (consulte o seu veterinário), até acabar com a infestação. No caso de optar por uma empresa que faça a dedetização, procure retirar o animal do local por 48 horas, no mínimo.

No cão: banhos anti-pulga semanais e aplicação de produtos anti-pulga tópicos de longa duração, a critério do seu veterinário.

• Nunca aplique em seu animal produtos que são utilizados na casa contra insetos e baratas;

• Filhotes, fêmeas gestantes e gatos, não devem ser banhados com produtos inseticidas;

• Consulte um veterinário antes de usar qualquer produto anti-pulgas;

• Banhos anti-pulgas devem ser dados com o cuidado do animal não lamber o produto durante o banho. O mesmo para o uso de talcos. A ingestão do produto pode causar intoxicação;

• Animais com ferimentos abertos (feridas ou queimaduras) não devem ser tratados com produtos anti-pulgas tópicos (para passar, banhar ou aspergir).

É possível prevenir a infestação por pulgas?

O controle da infestação por pulgas se faz através de medidas simples: banhos antipulgas freqüentes (quando for possível); uso de produtos anti-pulgas de longa duração em gotas para aplicar topicamente ou spray; usar produtos antipulgas nas casinhas dos cães periodicamente. Tapetes ou cobertores de uso dos animais devem ser lavados com freqüência; tosar os animais nas épocas mais quentes, para se controlar melhor as pulgas e facilitar os banhos;

Consulte um veterinário!

  • COM DÚVIDAS?
    TEMOS A RESPOSTA!

  • SOBRE A ONG
    AMOR VIRA-LATA

  • COMO ANUNCIAR
    UM ANIMAL NO SITE

  • COMO ADOTAR
    UM ANIMAL NO SITE

  • SOBRE ANIMAIS
    EM CONDOMÍNIO

  • SOBRE LEIS
    DE PROTEÇÃO ANIMAL

  • SOBRE MAUS TRATOS
    AOS ANIMAIS

  • PARCERIAS E VOLUNTARIADO

  • ENVENENAMENTO E DOENÇAS

  • MEDO DE FOGOS DE ARTIFÍCIO